Depois do anúncio do encerramento das versões Beta do MIUI Global, era de se esperar que as versões estáveis passariam a receber mais atenção por parte da Xiaomi. Ao que tudo indica, não foi isso que aconteceu.

De acordo com vários relatos encontrados na comunidade oficial da Xiaomi, a Mi Community, e em nossas próprias comunidades, como nosso grupo no Telegram ou Facebook, usuários da Europa e importadores do Mi 9 SE estão passando por um problema com a versão estável que até o momento não tem correção: após receber e atualizar o telefone para a versão 10.3.1.0 do MIUI, o telefone não inicializa mais, apresentando apenas uma tela informando que o sistema foi destruído, instruindo que o usuário reinicie o telefone. Além disso, o acesso ao recovery do dispositivo – que poderia ser usado para sua recuperação através do Mi PC Suite – é excluído.

The system has been destroyed: vários usuários sofrem com telefones inutilizados após a última atualização

China, Global, Rússia, EEA…

Faz pouco tempo que a Xiaomi resolveu separar ainda mais o desenvolvimento do seu sistema. Anteriormente, o MIUI era diferenciado apenas em 2 variantes: China e Global. A versão China, como o próprio nome denuncia, era exclusiva para o mercado Chinês, com soluções únicas e exclusivas para o país. A versão Global era utilizada para o restante do mundo, com opções internas de personalização de acordo com o país de comercialização. Conforme as exigências governamentais e novos regulamentos de proteção de dados começaram a surgir, outras versões exclusivas para cada mercado vieram logo em seguida. É o caso por exemplo de versões específicas para a Rússia, Índia ou para o Espaço Econômico Europeu.

A mudança não afetava somente o software: com essas exigências em vigor, o hardware também passava a receber limitações. Com isso, telefones comprados da China não poderiam usar a versão Global/Russa/Europeia, assim como as versões Globais não poderiam usar outras versões regionais ou até mesmo a Chinesa sem que o bootloader fosse desbloqueado. Com o bootloader bloqueado, o usuário que tentasse e conseguisse fazer tal migração receberia imediatamente a mensagem “The system has been destroyed”, fato que era bem comum na época em que as Shop ROMs eram a única alternativa para as lojas do mercado informal comercializarem dispositivos Chineses para o ocidente.

E agora?

Ainda não há posicionamento oficial da Xiaomi sobre o que pode ter causado o erro. Por isso recomendamos que todos os usuários que possuam um Mi 9 SE evitem a atualização para a versão 10.3.1.0 até que a empresa se pronuncie sobre o que causou o problema. Para usuários que atualizaram e sofreram com o problema, será necessário aguardar, principalmente porque para a recuperação do telefone é preciso que o mesmo seja desbloqueado e o seu software reinstalado. Atualizaremos a publicação caso o pronunciamento seja feito.

Atualização

Uma publicação no XDA-Developers menciona um método que até o momento está funcionando para os usuários que tiveram o problema, embora temporário:

  1. Reinicie o dispositivo em modo fastboot pressionando o botão Liga/Desliga + Volume – até o desenho do Mi Bunny com os dizeres FASTBOOT surgirem na tela;
  2. Tenha o adb/fastboot instalado, e utilize um prompt de comando para inserir os comandos necessários. Caso não tenha instalado, recomendamos o uso do Minimal adb and Fastboot;
  3. Abra o prompt de comando e insira o comando fastboot devices. A saída dele deve ser o número de série do dispositivo;
  4. Em seguida, insira o comando fastboot continue. O telefone reiniciará na versão anterior à atualização OTA.

Mesmo com o telefone inicializado, se o usuário o reiniciar terá que inserir novamente os comandos para que o telefone entre no sistema. Nesse caso, o que recomendamos é que seja feita a vinculação da Conta Mi para a permissão de desbloqueio de bootloader, e até mesmo a reinstalação da última versão através do Atualizador do MIUI.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui